c Trambolhão

domingo, junho 17, 2007

Consigo ser feliz quando não vejo bem ao longe.
Quando os contornos indefinidos sonham comigo.
E contigo.
Quando arestas limam sentimentos,
Como o engraxador dá corda aos sapatos,
Com a paciência toda do mundo a esperar por ele.
A dissolver esperanças em ácidos moles,
A combater infortúnios com grandeza de gigantes,
A sentir o terço torcer por mim,
A apertar mãos, uma na outra, a tua na minha, a dele na sua,
para rezar murmurios suaves cada vez com mais força.

5 Comments:

At 2:23 da tarde, junho 20, 2007, Anonymous Anónimo said...

Lindo.

 
At 9:56 da tarde, junho 20, 2007, Anonymous Anónimo said...

Muito bonito.
quero muitos poemas teus.

Mãe e Filipa

 
At 11:58 da tarde, junho 20, 2007, Blogger Orlando Nascimento said...

Já tinha alguns poetas preferidos... Vou ter de alterar a minha lista para te incluir nessa elite das palavras escritas pelo coração ;)
Bjo

 
At 3:17 da tarde, junho 26, 2007, Anonymous Rodrigo said...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

 
At 1:43 da manhã, julho 02, 2007, Blogger Carreira said...

Criei um blogue de opinião que agora estou a divulgar.
Se tiver interesse, não deixe de fazer uma visita: http://www.cegueiralusa.blogspot.com/
Caso goste, por favor divulgue, pois pretende ser mais um espaço de discussão em busca de uma cidadania mais activa.
O meu muito obrigado.
Com os melhores cumprimentos,
José Carreira

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home