c Trambolhão

quarta-feira, agosto 22, 2007

Ai menina...
A velha irada agarrava as mãos à cabeça. Ai que me matas o coração. Ai que se me revolvem as entranhas. Não devia ter bebido a água pé. E suspira, curvando-se cada vez mais para o fundo do poço, só agarrada pelo cajado firme e pelos dois pés pequeninos.
Só se ouve o fungar ruidoso. Alterna assim entre o cansaço e a revolta. Ainda ontem nascias nos meus braços, enroladinha num papel de jornal. Ainda ontem me penteavas o cabelo como se fosse uma princesa e dizias que me construias um castelo só para mim quando fosses rica. Ainda ontem... E agora dizes-me que vais partir com aquele mixuruca? Aquele filhós, que nem aqui aparece para te defender? Olha a má fama que corre aí sobre ele não é coisa inventada, não. Eu que te criei sozinha, após o teu pai desandar daqui com outra. E curvava-se mais sobre o poço.
Irene quebrava no chão. Os pensamentos zurpavam a mil à hora. Ser uma boa filha. Honrar a mãe. Arranjar um trabalho. Carregar os burros. Enxotar as ovelhas. Tudo parecia minúsculo comparado com o seu amor. Ainda ontem ele lhe tinha dado um anel. De plástico, mas um anel qu fazia furor no seu dedo . Isso significaria com certeza alguma coisa. E a fotografia da casa onde iriam viver. Uma vivenda bem arranjadinha. E a mãe tinha as vizinhas. E o cão. E ao fim ao cabo só estariam separadas algumas horas de viagem. Afinal não era o rumo que a vida tem de tomar. Firme Irene firme. A velha curvava-se agora sobre os bicos dos pés. Conseguia ver o cabelo cinzento, sujo, e uma madeixa que caía suavemente sobre os traços marcados da sua cara. Soprava uma aragem suave do fundo. A água parecia tão cristalina. Irene virou costas. Chantagens é que não. A velha voltou-se e num acesso de ira empurrou Irene lá para dentro. Chafurda aí na água para ver se pões as idéias em ordem, chafurda.

3 Comments:

At 3:42 da tarde, agosto 23, 2007, Anonymous Anónimo said...

Que coisa bem escrita! É pena não haver continuação entre estas histórias. E que tal fazer um romance com cabeça, tronco e membros?

 
At 4:55 da tarde, outubro 07, 2007, Blogger Laurentina said...

Muito bonito!
Devias postar também os textos que fizeste na Oficina do Conto!
Continuo a adorar as aulas da tua mãe!
Beijinhos!
(Passa no meu blog)

 
At 8:43 da tarde, abril 02, 2008, Anonymous Anónimo said...

whats best

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home