c Trambolhão

quinta-feira, dezembro 20, 2007

O vagabundo parou em frente das linhas do metro. Estava a escolher o destino diário para pousar as roupas. Que se tornam pesadas, manta por cima de manta, a adoçarem o chão porque passam, como pedaços de tecido rebordados com o sangue e suor diários que se acumulam nesta pele bem escondida.

Deixa-me fechar os olhos. Só por alguns minutos. Adormeceu em pé. Como uma estátua. Não cambaleava, só fechou os olhos o tempo suficiente para dormir. Algumas pessoas deixavam moedas. Que bela estátua. Porque está bem bonito este quadro passageiro. Parece que estamos nas Ramblas, pensam outros.

2 Comments:

At 2:32 da tarde, dezembro 22, 2007, Blogger Orlando Nascimento said...

Ao ver estas situações de pobreza de rua fico a pensar na condição humana, nesta sociedade cega que olha para o lado, e dá-me vontade de fazer voluntariado para levar um pequeno conforto a estas pessias uma vez por outra... Mas ainda não o fiz.
Mas o que escreveste é uma bela homenagem.
Bjinho

 
At 2:44 da tarde, janeiro 05, 2008, Blogger pedro said...

:-(

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home