c Trambolhão: Maresias

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Maresias

Ontem,
Corri até ao mar sem ficar ofegante,
Ensaboei os pés na minha espuma transparente,
E senti o estalar da frágil concha laranja.
Tornei-me tao dona e sereia da minha poca,
Que ao abracar o vento que corria até mim,
Nao consegui prendê-lo.
Chorei o que tinha cá dentro,
Libertei as lágrimas ao mar,
E juntei os dois elementos salgados.
Respirei, um, dois, três...
Sentei-me,
Deitei-me,
Contraí o ventre e estiquei os músculos presos,
Tanto, tanto e com tanta forca,
Que toquei no outro lado do horizonte.

2 Comments:

At 7:06 da tarde, fevereiro 17, 2006, Anonymous Anónimo said...

Brilhante! Continua, com força!

 
At 8:20 da tarde, fevereiro 17, 2006, Anonymous Anónimo said...

Isto é muito belo

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home