c Trambolhão: que Divas

segunda-feira, dezembro 26, 2005

que Divas


Quem me dera ser actriz. Como aquelas dos filmes românticos de Hollywood. São lindas elas, envoltas naquela aura de mistério, embrulhadas em casacos brancos de pele, sempre com tudo arrumado e no sítio, tal qual as nossas caixas de jóias. O cabelo delas está sempre em perfeição plena, mesmo que esteja embrulhado num lenço de cetim e que estejam a dar piruetas numa avioneta, os óculos, oh que perdição, aquelas maravilhosas armações gigantes que escondem a cara toda, mas que mesmo assim lhes ficam super elegantes. Transparecem serenidade e calma, mas ao mesmo tempo, quando se desabotoa uma frecha do seu sorriso,é bem capaz de sair de lá uma frase pelo cortante e gélida. Para elas basta just one look, e trás, lá estarão eles postrados a seus pés, qual cachorros abandonados à sua mercê. Maravilhosas e deslumbrantes divas, elas encarnam o ideal feminino do nosso século extinto há bem pouco tempo. Qual será porventura o ideal feminino do século XXI? Mulheres práticas e desportistas, mães de família com calças arregaçadas até ao joelho, mães virtuais pelo computador? Eu imagino-nos a nós mulheres agora nas mais diversas profissões. As chefes de empresas yuppies, designers, médicas, professoras, escritoras, são mulheres com postura e garra, menos nayves, enfim construções mais sólidas mas sem garantias de perfeição e sem retorno. Caímos do pedestal, infiltrámo-nos na multidão, sujámos as mãos, mas tornámo-nos mais humanas. E por isso, talvez por isso, os homens às vezes nos tratem com um bocadinho menos de dignidade, pois encolhemos a distância e eles perderam o medo de nós, já não somos inatingíveis. Mas a partir daqui conquistámos a liberdade de sermos imperfeitas.E isso é maravilhoso, porque nos dá o direito de errar e sobretudo de tentar fazer algo novo. Já não somos encaixadas em moldes pré-fabricados e em comportamentos padrão...No entanto, bem no fundo, manteremos vestígios da diva, bem disfarçados, mas que permanecem...

7 Comments:

At 10:06 da tarde, dezembro 26, 2005, Anonymous Paulo Pina said...

Está muito giro o Blog Inês. É bem verdade o que dizes neste post. Se calhar isso explica o sucesso do "Desperate housewives" e séries afins.
Beijos e continua.

 
At 1:17 da tarde, dezembro 29, 2005, Anonymous Sara said...

Gostei muito.Aparentemente tão tímida mas és muito expressiva a escrever.Fico à espera de mais.....
Beijinhos

 
At 11:28 da tarde, dezembro 29, 2005, Blogger ida said...

Gostei da tua noção de Diva!
Acho que não necessitamos de ser actrizes para sermos Divas. Mas é uma verdade que estas personagens invadem os nossos sonhos: qual terá sido a menina que nunca sonhou em ser uma princesa, ou a viver um daqueles momentos que parecem ser tão perfeitos na tela?
Achei interessante o teu comentário acerca de os homens nos tratarem com um "pouco" mais de dignidade...
Veio-me logo à cabeça um excerto de um livro que estou a ler e que recomendo vivamente (Sexo na Cabeça, de Luis Fernando Veríssimo): "... Durante toda a história da humanidade, as mulheres não fizeram outra coisa senão cuidar de macacos. A sua paciência se desenvolveu com a necessidade de esperar que o homem passasse por várias fases, de bicho a hominídeo até poder ficar bem num smoking. Acompanharam a evolução dos homens, estudaram-os desde que tinham rabo, ensinaram-os a usar o dedão opositor, e a não babar no peito...e finalmente quando foi criada a linguagem, e depois o alfabeto, e quando os homens concluíram que eram melhores do que as mulheres, estas aceitaram a ingratidão dos machos, pois sabiam que estavam a lidar, afinal, com animais interessantes, mas animais..."
Interessante, não acham Divas? ;)

 
At 9:27 da manhã, dezembro 30, 2005, Blogger tiago said...

Esta sequência de "fotografias" está com uma cor, enquadramento e "feeling" perfeitos! Estás no bom caminho para o livro - e entretanto fizeste-me reconsiderar sobre questões de "qualidade"... continua a fotografar!

 
At 11:39 da manhã, dezembro 30, 2005, Blogger pedro said...

Que seríamos de nós, hombres, sem as Divas? Como dizes, os traços de diva estão lá sempre, disfarçados, adormecidos, mas quando vocês resolvem pô-los em destaque... Explosão de sensualidade, são uma uma pedra de gelo escaldante, uma armadilha em que gostamos sempre de cair.

Bjs Becas, e fico feliz por ver que isto anda a ser mais comentado

 
At 10:35 da tarde, dezembro 31, 2005, Anonymous Anónimo said...

Quem sou eu para comentar todos estes "textos-maravilha"!
Sugiro, apenas, que pegues nisto tudo impresso e visites umas editoras!
Por que não?
A Presença, a Assírio e Alvim, a Caminho e outras que tu sabes...
Beijos muitos...
Adivinha quem sou!

 
At 7:23 da tarde, janeiro 01, 2006, Blogger Inês said...

Não sei quem és, se tivesses escrito à mão ainda assim poderia adivinhar, mas assim não dá!:)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home