c Trambolhão: Junho 2006

segunda-feira, junho 26, 2006

Mundial...

Ver o jogo de Portugal noutro país é realmente diferente. Estamos rodeados de poucos, mas leais e fervorosos adeptos portugueses que entoam um allez, allez Portugal, saudoso e amistoso, mas que sai ainda apertado e tímido, sobre a presenca dos olhares alheios. E ingleses, esses sim foram os que ocuparam quase todos os lugares ao nosso lado, mas estiveram sempre a torcer por nós, porque Portugal é, na opiniao deles, uma melhor companhia adversária do que os laranjinhas berrantes.
Fico satisfeita que assim seja. Ontem pensei em Lisboa, e recordei como seria estar junto de vocês tuguinhas do meu corazon, queria subir mais uma vez ao marquês, mas sem cair, porque festa é festa, mas as alturas sao as alturas.
Onde eu trabalho podemos estar em contacto com as diferentes nacionalidades presentes no Mundial, especialmente com as respectivas das equipas que jogaram em Estugarda.
Tivemos os Franceses que sao loucos e nao sabem patavina de inglês, mas adoram o Pauleta e se jogarmos futebol com eles até nos chamam de madames!... Holandeses, muito laranjinhas, sao os que têm os aderecos mais engracados, desde trancinhas, a fatos completos de homens do lixo, com socas grandes e que quando entram na mesma carruagem desatam todos a saltar ao mesmo tempo, sem parar e a cantar com os pulmoes bem abertos. O que vale é que os alemaes os adoram com um ódio natural de estimacao, e nao hesitam a resmungar entre-dentes...Espanhois que falam alto e me recordam como é bom ser latino e viver com garra todos os dias, que sao sedutores como mais ninguém ao chamarem-nos de "guapíssimas". Os Australianos, mais conhecidos por "aussies" têm descontracao para dar e vender, porque afinal é a primeira vez que vêm ao Mundial desde há muito tempo e o que interessa mesmo e participar, sempre com os cangurus de plástico às costas!
Com os Ingleses, aí sim a história complica-se. A bebida é sempre a melhor amiga deles, sendos alemaes que visitam o campo lhes oferecem bebida de forma a que eles se portem bem e respondam tudo de forma ordenada e quietinha. Mas o problema é que estes rapazes nao gostam nada de ficar quietinhos, perdem tudo, chegando ao cumulo de nos virem perguntar de manha onde podem arranjar uma chave para o carro, porque na noite anterior um do grupo perdeu as calcas com tudo incluido e nao se lembra onde. Agora perguntam vocês, mas como perdeu as calcas? Nao sei, nem quero imaginar. Telemóveis, passaportes, t-shirts, tudo desaparece no meio do caos e das montanhas de copos com cerveja, mas no final até se conseguem rir das proprias facanhas.
E agora resta-me torcer toda, fazer figas com os dedos todos para tentarmos ganhar, chegar, como alguém recentemente me disse, sempre MAIS ALÉM:) Going further is the spirit, go Portugal!!!