c Trambolhão: Dezembro 2007

quinta-feira, dezembro 27, 2007

A tinta voluptuosa escorria da caneta oferecida,
A par e passo com tamanha escrita lânguida,
A lentidão de um perna hesitante, correspondia ao ritmo saboroso de um pulso tímido,
Cuja pulsação marcava o compasso de um relógio interno ainda resistente.
Esperavas que abrissem a porta pesada sem ranger,
Não a querias fechada.
Deixavas o coração por preencher como o céu azul, azul, ainda sem o rasto de algum avião.
As gotas de tinta afundavam-se no turbilhão de um oceano escuro de memórias,
Embalado nas pontas de dedos de bailarina que carregavam o fogo e sal de feridas antigas,
Que enchiam copos de vinho nas vésperas de batalhas gloriosas,
Carregavam munições com o instinto fatal dos cegos ignorantes,
Penduravam a bandeira às costas tornando-se presas fáceis na mira do atirador,
Sem o medo, que ao ser escrito, se tornava num breve e fugaz som,
Cortado pela seiva das suas raízes mais profundas,
Abandonava-se a ser possuído pela vida.

Hoje recebi o seguinte email.
VAI MUDAR A SUA VIDA PARA MELHOR.

Uauuuuuu!
Depois li a seguir: A chave não será a electrónica mas sim o desenvolvimento das capacidades de cada pessoa: Saber adquirir os conhecimentos, saber desenvolver o sentido das suas responsabilidades (normas, costumes e leis), saber instruir, saber melhorar os métodos, saber comandar e saber segurança (condições perigosas e imprudências).

Desenvolvendo-se estas capacidades, cada pessoa fica com recursos superiores que poderá aplicar, conforme desejar, quer individualmente quer em grupo.

UOAOAOAOAOOA!
Recursos superiores?Estou lá batídissima. Dou 5 euros a quem adivinhar o que é isto.

quinta-feira, dezembro 20, 2007

O vagabundo parou em frente das linhas do metro. Estava a escolher o destino diário para pousar as roupas. Que se tornam pesadas, manta por cima de manta, a adoçarem o chão porque passam, como pedaços de tecido rebordados com o sangue e suor diários que se acumulam nesta pele bem escondida.

Deixa-me fechar os olhos. Só por alguns minutos. Adormeceu em pé. Como uma estátua. Não cambaleava, só fechou os olhos o tempo suficiente para dormir. Algumas pessoas deixavam moedas. Que bela estátua. Porque está bem bonito este quadro passageiro. Parece que estamos nas Ramblas, pensam outros.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Nem tanto ao Mar, nem tanto à Terra.

Gosto muito desta expressão. E é tão difícil aplicá-la na prática.

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Quando escrevo Deus, às vezes hesito em colocar a palavra em maiscúlas. Já me aconteceu voltar atrás e escrever com letra pequenina, mas não é igual e sinto-me como uma criança perdida. E volto a colocar um D grande. Porque, sei lá, porque ele é Deus.

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Estamos fritos!

Can't Buy Me Love, But A Vote Is A Whole Other Thing

A survey by a New York University journalism class found that 66% of the students would agree not to vote in the next presidential election in exchange for a year's tuition, 20% would give up their vote for an iPod Touch, and half would forfeit their right to vote forever if you gave them $1 million. Interestingly, 90% of those who said they'd give up their vote for the big bucks also said they think voting is "very important" or "somewhat important." Just not as important as money.

*Retirado do blog http://www.maddogblog.com/

Hoje conheci um treinador de cães. No metro. Simpático, disse-me que o cão ideal para mim seria uma Lassie. Era a minha cara chapada. E eu pensei, uma Lassie? (Lassie porque eu não sei qual é a raça deste cão), e repliquei indignada, eu sempre quis foi ter um Labrador. Amarelinho, como no anúncio da Scottex, de cauda a abanar sem parar, igualzinho a todos os que andam por aí à nossa volta em Lisboa. Agora uma Lassie???? Que cão mais empertigado. Olhe bem para mim meu senhor, não acha que o cão tem que ver com o dono?? Segundo ele, é porque são muito calminhos e disciplinados. Mas dono indisciplinado, cão indisciplinado, ou não? Se bem que o respectivo senhor disse que um Hush Puppie (lá estou eu sem saber a raça), também não ia nada mal com a minha cara. Assim preguiçoso e fofinho.
E então perguntei, diga lá o que é que aconselha mesmo. Para ele os cães pastores são os melhores para termos em casa. Um pastor alemão fica sempre bem em casa. Quietinho, assim sem partir nada, porque o que eles gostam é de estar quietinhos.
No fundo, bem no fundinho, o que eu queria era um Lavrador castanho, assim aveludado. Mas perdi logo a esperança. Segundo ele estes Labradores são muito raros. Lá se vai o meu chocolate preferido ao ar.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

São três da tarde. Ou melhor faltam 4 minutos. E o meu coração gira a cem à hora. Já medi o tampo da minha secretária de fio a pavio. Já soletrei o meu nome de trás para a frente. Já calculei em que dia da semana vou fazer anos em 2015. Já contei os dias até ao Natal. Já inspirei e suspirei. Já perdi as chaves do carro. Já.... E vocês o que é que já fizeram?